Munique: Campo de Concentração de Dachau

Se você nunca pensou em conhecer um campo de concentração, eu respeito, mas vou mostrar para vocês aqui como é experiência, para que possa refletir sobre se vale a pena ou não a visita!
Na minha opinião, vale muito. É triste sim, mas faz parte da nossa história, não podemos simplesmente apagar e fingir que não aconteceu. E a preservação de locais como esses, são de extrema importância para a humanidade nunca mais esquecer do que o homem já foi capaz, e refletir sobre o futuro e que tipo de pessoas queremos ser.

DI NA SUA VISITA AO CAMPO - PARA COMPLETAR O CINZA DAS CENAS, AINDA CHOVIA
DI NA SUA VISITA AO CAMPO - PARA COMPLETAR O CINZA DAS CENAS, AINDA CHOVIA

Portanto, apesar de ter imagens marcantes e o durante o percurso você descobrir informações extremamente chocantes, é um passeio que recomendo e acho que vale a pena sim!

CAMPOS ONDE ERAM REALIZADOS OS TRABALHOS FORÇADOS
CAMPOS ONDE ERAM REALIZADOS OS TRABALHOS FORÇADOS


COMO CHEGAR: 
É muito simples chegar no Campo de Concentração de Dachau, pegue o metrô da linha S2 e solte na estação de Dachau, e logo em frente à estação pegue o ônibus da linha 726.
Para saber maiores detalhes de como se locomover, leia o Post COMO SE LOCOMOVER EM MUNIQUE.


HISTÓRIA: 
Dachau foi o primeiro campo de concentração a ser construído, em 1933, servindo de modelo para os construídos em seguida.

MAQUETE DO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DE DACHAU, ONDE OBSERVA-SE O QUÃO GRANDE ERA
MAQUETE DO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DE DACHAU, ONDE OBSERVA-SE O QUÃO GRANDE ERA 

Nos seus primeiros anos, Dachau recebeu muitos prisioneiros políticos que eram contra o Regime Nazista e o local funcionava como um campo de trabalho, e também era usado para o treinamento dos soldados da SS. Não demorou muito, o campo começou a receber também Testemunhas de Jeová, homossexuais e imigrantes, mas a maioria absoluta foram de judeus.
Esse campo chegou a abrigar mais de duzentos mil prisioneiros de mais de trinta países e, além disso foi usado para o extermínio de cerca de trinta mil pessoas. Muitas pessoas morreram simplesmente em virtude das péssimas condições em que eram tratados.


O QUE VER:
A entrada do campo é grátis, mas recomendo que você adquira um áudio-guia para utilizar durante a visitação, tem em português e quando visitei para adquirir o custo era de €3,50.
Logo na entrada do campo, no portão de acesso, existe uma frase muito interessante “ARBEIT MACHT FREI”, que em português significa: O Trabalho Liberta. Frase bastante irônica para aparecer estampada na entrada de um campo de concentração, entretanto, esse fato deixa bem claro a consciência das atrocidades que eram cometidas nesses lugares, pois essa frase estava lá para “mascarar” e fazer parecer que era um local onde os prisioneiros trabalhando, ganhariam a sua liberdade. E não um local onde haviam condições desumanas de habitabilidade, maus tratos, desnutrição, morte. Enfim, muita coisa para se pensar e refletir.

PORTÃO DE ENTRADA COM  A INSCRIÇÃO "ARBEIT MACHT FREI"
PORTÃO DE ENTRADA COM  A INSCRIÇÃO "ARBEIT MACHT FREI"

Entrando no campo a visão que se tem é realmente a que se vê nos filmes, com aqueles grandes campos, com algumas edificações, um grande espaço livre arenoso. Tudo lá é meio sem vida, não sei porque, até as árvores parecem um pouco cinzas.

GRANDES CAMPOS COM OS EDIFÍCIOS PRINCIPAIS AO FUNDO
GRANDES CAMPOS COM OS EDIFÍCIOS PRINCIPAIS AO FUNDO


CAMPOS DE TRABALHO FORÇADO
CAMPOS DE TRABALHO FORÇADO

Existe também um Memorial em homenagens aos mortos no campo de concentração de Dachau, bastante sombrio, como deve ser, para que não esqueçamos.

MEMORIAL EM HOMENAGEM AOS MORTOS
MEMORIAL EM HOMENAGEM AOS MORTOS


MEMORIAL EM HOMENAGEM AOS MORTOS
MEMORIAL EM HOMENAGEM AOS MORTOS

Dentro dessas edificações onde ficavam as bases dos militares, prisões, refeitórios, são feitas as exposições de toda a história do Campo de Concentração de Dachau.

EXPOSIÇÃO INTERNA ÀS EDIFICAÇÕES
EXPOSIÇÃO INTERNA ÀS EDIFICAÇÕES

Na ala das prisões percebem-se as péssimas condições, pois eram muito pequenas as celas, e como eram muitos prisioneiros,  deveriam ficar todos “amontoados” dentro delas.

ÁREA DAS CELAS
ÁREA DAS CELAS

A parte mais chocante para mim, foi a área onde havia a câmara de gás, o nosso guia explicou que os prisioneiros entravam achando que iam tomar seus banhos e quando chegavam lá percebiam que na verdade era chegada a hora da morte. Seus corpos depois iam para os fornos crematórios, haviam muitos lá. Foi a pior parte da visita, sem dúvida.

ÁREA DAS CELAS
ÁREA DAS CELAS


DADOS IMPORTANTES:
Endereço: Alte Römerstraße 75, 85221 Dachau, Alemanha
Estação: S2 – Dachau
Valor da Entrada: Gratuito
Horário de Funcionamento: terça-feira à domingo de 09:00 às 17:00 hs.


Vamos aproveitar esse momento e refletir sobre o mundo, sobre a vida. Se ainda tivermos qualquer preconceito guardado em nossos corações, vamos nos perguntar POR QUE? Tem fundamento, não tem? Pois já pudemos ver o quão mal os preconceitos podem fazer.

Beijos da Di.




POSTS SOBRE ASSUNTOS RELACIONADOS: 
               - COMO SE LOCOMOVER NA CIDADE DE MUNIQUE!
               - MUNIQUE: ODEONPLATZ!
               - MUNIQUE: ENGLISCHER GARTEN!
               - MUNIQUE: DEUTSCHES MUSEUM
               - MÜNCHNER RESIDENZ!
               - MUNIQUE: O CASTELO NESCHWANSTEIN
               - MUNIQUE: LOJA DA MILKA EM MUNIQUE!
               - MUNIQUE: A CERVEJARIA HOFBRÄUHAUS!
               - MUNIQUE: ONDE COMPRAR SHAMPOO?!
               - MUNIQUE: LOJAS DE 1 EURO!

CONVERSATION

4 Comentários :

  1. Já imagino o quanto ficarei emocionada neste lugar.
    Excelente post, Di!

    ResponderExcluir
  2. Brigada Fabi,

    comentários desses vindo de blogueiros me deixam muito feliz!!!

    Grande beijos e saudades. Di.

    ResponderExcluir
  3. Suas dicas são ótimas e valiosas! Obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
  4. Rithiele,

    que comentário mais lindo!

    Muito obrigada!

    Beijos da Di.

    ResponderExcluir

Volte
p/ topo