Onde comer em Búzios: Sollar, o restaurante do Chef Danio Braga!

Para muitos, gastronomia pode se resumir no simples ato de comer, mas quando esse ato se eleva num nível acima, a gastronomia se torna muito mais do que isso, se torna arte. E no Sollar, o Chef Danio Braga, fez questão de elevar o nível, buscando a perfeição.
Chegando no Sollar Búzios, fui recebida pelo maître Francisco Mendes e pelo adorável Francisco Mesquita, que me dispensaram toda a atenção possível.
Nos explicaram que o conceito do restaurante é a enogastronomia, em que todas as experiências gastronômicas, são orientadas com a indicação do vinho ideal e que melhor irá harmonizar com os pratos escolhidos. Assim que cheguei me foi oferecido um espumante chamado DIGNUS, brasileiro e bem refrescante, o qual preferi degustar por todas as refeições, exceto a sobremesa, na qual tomei um vinho branco de colheita tardia, o Cosecha Tardia, bem adocicado, e harmoniza melhor com doces.









            Encontro os hotéis mais baratos no site da Rumbo.pt.


1)        Localização
A localização não podia ser melhor, na parte mais charmosa de Búzios. Fica na Orla Bardot, na Praia da Armação dos Búzios, entretanto, não na área mais agitada, e sim no final dela bem em frente à estátua de Juscelino Kubitschek.


De lá também é possível assistir ao pôr do sol mais lindo da cidade, pois o restaurante abre às 16:00hs, sendo possível assistir da área externa do restaurante, que possui algumas pequenas mesas na fachada e som ambiente de boa qualidade para quem quiser curtir em grande estilo esse momento.






2)        Decoração e Ambiente
O Sollar fica localizado em uma antiga casa completamente reformada no seu interior, entretanto no seu exterior foi mantida a arquitetura original, conservando a fachada tradicional da região.


O restaurante é composto por quatro ambientes, uma área externa, com algumas mesinhas na fachada, um bar, um salão climatizado e outro no solar da casa.








A cozinha é aberta para que todos possam ver o processo de elaboração dos alimentos. Eu pude entrar e conhecer um pouquinho dessa cozinha e fiquei muito impressionada, principalmente com as massas que são elaboradas artesanalmente na própria cozinha. Se você também quiser conhecer a cozinha é só pedir.






A decoração é refinada, mas aconchegante, sendo possível frequentar o local após um dia de praia ou passeios.
Outro ponto forte do restaurante é a música, com uma trilha sonora de qualidade, que deixa o ambiente ainda mais descontraído.


3)        Atendimento
O atendimento é um dos pontos mais fortes desse restaurante, complementando ainda mais a experiência, e pude observar que todos que chegavam no restaurante eram tratados com a mesma atenção a mim dispensada.
Chegando lá procurem por Francisco Mesquita, pois ele irá transportá-los por uma viagem pelo mundo enogastronômico. Ele nos contou tantas histórias, vou tentar descrever algumas aqui, mas tenho certeza que não conseguirei atingir o nível dele.




4)        Vinhos
A adega climatizada com rótulos em sua maioria da França e Itália, e ainda possui algumas raridades muito interessantes, como um vinho do Porto de 1863 e a mais cara, que é uma garrafa de Chateau Cheval Blanc de 1986.




Outro fato interessante do restaurante é uma Vertical, que fica exposta no salão principal, avaliada em 1 milhão e meio de euros, ela é considerada a maior do Chateau Pétrus já realizada no mundo. Essa maravilha é formada pelos rótulos sobressalentes de uma degustação realizada no Copacabana Palace em 2011, durante três finais de semanas e que reuniu 80 safras de 1900 à 2007, do Chateau Pétrus, que é considerado um dos vinhos mais caros do mundo. A degustação foi organizada pelo sommelier, enólogo e chef Danio Braga e o proprietário dessa maravilha é sigiloso.





5)        Entradas


Nós optamos pelo Percurso de Mozzarella, pois a mozzarella é um dos pontos fortes da casa, que são fornecidas pela Vilalatte, produtores artesanais do Rio de Janeiro. O restaurante optou por fornecedores da região, para  valorizar o uso de produtos frescos e locais.
O Percurso é realmente um manjar, adoramos tudo nele, e o que tornou mais interessante é que, como nos foi contado, esse prato é formado por cinco etapas, que são os vários pontos de maturação da mozzarella. Vou explicar:
Na primeira etapa, temos a Stracciatella, que é um creme com a mozarela ainda em fase coalhada. A próxima etapa é a Burrata, que é a segunda consistência do processo de elaboração. Na terceira fase, já temos a propriamente dita mozzarella, como feita tradicionalmente na Itália. Na quarta etapa, o Caciocavallo, com uma textura bastante firme. E finalmente o Scamorza, que é defumado aparentando provolone, e apesar de firme, é cremoso, com um sabor que nem sei colocar em palavras, e fecha perfeitamente o circuito.




6)        Pratos Principais
Além da mozzarella, outra estrela do Sollar são as massas feitas artesanalmente no próprio restaurante, como já falei acima. Então optamos por pratos com massa.
O prato do maridão foi um Tornedor em leito de tomate seco e Fettuccine ao molho de parmesão, esse corte de filé mignon tem uma espessura mais grossa, e por isso é mais difícil de deixar a carne no ponto ideal, mas esta carne estava divina, além de ser bem macia, estava crocante por fora e suculenta por dentro.


O meu prato foi o Fettuccine com zafferano, Champignons frescos, presunto San Daniele e abobrinhas, a massa estava tão leve, era fácil perceber que é fresca, além disso, o tempero também estava muito bom.




7)         Sobremesa
Experimentamos logo três sobremesas para fechar bem essa experiência!
O Tiramisú, além de ser um clássico italiano, também é um clássico no Sollar, o mascarpone utilizado na sua confecção é feito na casa.
Provamos também Profiteroles recheados com creme de pistache e calda de chocolate amargo, adoro pistache e combinada com a calda de chocolate e as carolinas, estava ótima.
E a minha maior surpresa foi o Petit Gateau de doce de leite, acabou se tornando uma grande surpresa, pois foi o melhor petit que já experimentei, totalmente cremoso por dentro.



Beijos da Di e aproveitem!

DADOS IMPORTANTES:
Endereço: Av. Jose Bento Ribeiro Dantas, 994 – Búzios
Telefone: +55 22 2623-5392
Horário de Funcionamento: de quarta à domingo das 16:00 às 00:00hs
Wi-fi: livre
Formas de Pagamento: Aceitam todos os cartões
Preço: $$$
Estacionamento: não há

LEGENDA DO GASTO:
$ - entre R$ 30,00 e R$ 60,00 por pessoa
$$ - entre R$ 60,00 e R$ 90,00 por pessoa
$$$ - entre R$ 90,00 e R$ 150,00 por pessoa
$$$$ - entre R$ 150,00 e R$ 200,00 por pessoa


CONVERSATION

1 Comentários :

  1. alexandra figueiredo19 de junho de 2015 19:11

    Que delícia de post!!!..deu água na boca..lugar perfeito !!.

    ResponderExcluir

Volte
p/ topo