Portugal: PALÁCIOS ATRAEM CADA VEZ MAIS TURISTAS EM LISBOA

Segundo dados da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), durante os primeiros seis meses do ano, 507.028 pessoas visitaram o Mosteiro dos Jerônimos, o que representa um aumento de 14,8% face ao mesmo período homólogo em 2015. A Torre de Belém posicionou-se em segundo lugar, com 326.849 mil visitas. O número de entradas nos museus, palácios e monumentos dirigidos pela DGPC têm crescido desde 2010, acompanhando a tendência de crescimento no setor do turismo registrado no país.

Sintra - Palácio da Pena
Sintra - Palácio da Pena

Para aqueles que apreciam os palácios reais, a região de Lisboa oferece uma enorme gama de edifícios, e valem a pena ser visitados, são eles:

Palácio Nacional de Mafra, mandado construir no século XVIII pelo Rei D. João V, é o mais importante monumento do barroco em Portugal. Construído em pedra lioz da região, o edifício ocupa uma área de perto de quatro hectares (37.790 m2), compreendendo 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões. Tal magnificência só foi possível devido ao ouro do Brasil.

Real Paço da Ajuda - o novo Paço, habitável desde 1761, veio a ser a residência da Corte durante cerca de três décadas. Em 1794, no reinado de D. Maria I, um incêndio destruiu por completo esta habitação real e grande parte do seu valioso recheio. Coube a Manuel Caetano de Sousa, Arquiteto das Obras Públicas, a tarefa de projetar um novo palácio. Fatores de natureza diversa foram imprimindo um ritmo descontinuado ao decorrer da obra do edifício: a partida da Corte para o Brasil, em 1807 e a falta periódica de recursos financeiros. Quando, em 1821, a Corte regressou do Brasil, o Palácio permanecia inacabado, sendo nele realizadas apenas cerimônias protocolares.

A partir dos anos oitenta iniciou-se a reconstituição desta residência real, alicerçada em rigorosa investigação histórica. O Palácio Nacional da Ajuda não é apenas a antiga residência real. Na ala norte, estão instalados a Biblioteca da Ajuda (antiga biblioteca régia) e a Galeria de Pintura do rei D. Luís I.

Parque e Palácio Nacional da Pena, localiza-se na zona oriental do Parque da Pena, que é necessário percorrer para se chegar  à edificação. É constituído por duas alas: o antigo convento manuelino da Ordem de São Jerónimo e a ala edificada no século XIX por D. Fernando II. Em 1838 o rei D. Fernando II adquiriu o antigo convento de monges Jerónimos de Nossa Senhora da Pena, que tinha sido erguido no topo da Serra de Sintra em 1511 pelo rei D. Manuel I.

Sintra - Palácio da Pena
Sintra - Palácio da Pena

Palácio Nacional de Sintra, situado no centro histórico da Vila, é um monumento único pelo seu valor histórico, arquitetônico e artístico. De todos os Palácios que os monarcas portugueses mandaram erigir ao longo da Idade Média, apenas o de Sintra chegou, até aos nossos dias, praticamente intacto.

Palácio Nacional de Queluz, próximo de Sintra e de Lisboa com seus jardins históricos, constitui um dos exemplos mais notáveis da ligação harmoniosa entre paisagem e arquitetura palaciana em Portugal. Ilustra os ambientes e vivências da Família Real e da corte portuguesa na segunda metade do século XVIII e início do XIX, ao mesmo tempo em que apresenta a evolução do gosto neste período marcado pelo barroco, o rococó e o neoclassicismo, remetendo para momentos de grande relevância histórica, na transição do Antigo Regime para o Liberalismo.

Sintra - Palácio de Queluz
Sintra - Palácio de Queluz

Nos jardins do Palácio Nacional de Queluz, foi sediada a Escola Portuguesa de Arte Equestre, fundada em 1979 com a finalidade de promover o ensino, a prática e a divulgação da Arte Equestre tradicional portuguesa. Atualmente, os visitantes da Escola Portuguesa de Arte Equestre podem assistir a treinos, apresentações, e galas no Picadeiro Henrique Calado, na Calçada da Ajuda (Belém).

Em relação aos Palácios que se tornaram grandes hotéis, vale destacar: o Tivoli Seteais, localizado em Sintra – capital do Romantismo, é um hotel que promove grandes cerimônias de casamentos. O Fortaleza do Guincho, com um belo restaurante que apresenta o melhor da gastronomia lisboeta, é imperdível.  Há ainda a Pousada de Cascais - Cidadela Historic Hotel, o Pestana Palace Hotel & National Monument e o Palácio Belmonte. 


Sobre a Associação Turismo de Lisboa (ATL): Criada em 1997, a ATL é uma entidade privada sem fins lucrativos com mais de 800 associados que se dedicam, no todo ou parcialmente, à economia do Turismo da região, com a missão de promover Lisboa como destino turístico de excelência. www.visitlisboa.com

CONVERSATION

2 Comentários :

  1. Sintra é Lindíssima!
    Portugal tem verdadeiros encantos
    Eu amo este País !!

    Http://www.eunascidades.com

    ResponderExcluir

Volte
p/ topo