Patagônia Argentina – Ushuaia: Pinguinera Terrestre de Verão

Nas duas semanas que passei na Patagônia tive muitas experiências incríveis, mas uma das mais emocionantes com certeza foi a Pinguinera! Eu pude andar e sentar ao lado de pingüins, tudo foi tão surreal que é difícil descrever com palavras a sensação.


No verão, os pinguins se estabelecem na ilha de Martillo e se você visitar o Fim do Mundo nessa época terá o enorme prazer de viver essa experiência.

Leia aqui mais posts sobre os passeios no Ushuaia.


Como comprar seu tour?
A DICA DE OURO para comprar o seu passeio é vá direto ao Porto, não gaste tempo indo nas agências na Avenida San Martin, que somente revendem esses passeios de barco e vão cobrar uma taxa sobre o valor básico. Lá você encontra diversas empresas que vendem pacotes com diversos tipos de navegação e pinguinera.



Qual passeio realizar?
Uma dica que dou se você estiver com tempo, claro, é fazer a Navegação no Canal Beagle para ver os leões marinhos com a parada na Estância Harberton para fazer também a pinguinera terrestre. Na navegação pinguinera você vê os pingüins de longe, sendo uma experiência muito superficial.


Aqui vou detalhar somente a pinguinera terrestre, que fiz separado do Canal Beagle, não consegui marcar o passeio mais completo. Se puderem marquem esse para não ter que ir ao porto duas vezes diferentes, nos demais passeios as agências buscam no seu hotel.


Mas como é a experiência?
 Como falei acima saímo do Porto Turístico da cidade, aproveite para chegar um pouco mais cedo e carimbar o seu passaporte e tirar uma foto na Placa do Fim do Mundo.


No horário marcado saímos de van em direção à Estância Harberton, ponto de partida para a ilha dos pinguins, a Ilha de Martillo. O caminho é um pouco longo, passando pela bela Ruta 3, aproveite para admirar a bela paisagem ou descansar um pouco.


Paramos no caminho para admirar a vista e conhecer a famosa Árvore Bandeira, que são árvores que se inclinam muito devido aos fortes ventos da região.


Chegando na Estância seguimos direto para  o Museu Acatushúnde Aves e Mamíferos Austrais. O museu é bastante interessante, cheio de ossos de baleias, pinguins, golfinhos e diversos animais marinhos. Além de ter uma equipe de voluntários que estudam biologia, veterinário, entre outros.


Partimos então para a parte mais esperada de nossa aventura: a Ilha de Martillo. Entramos em um bote semirrígido, onde navegamos por cerca de 20 min até chegarmos na ilha e onde desembarcamos para o melhor momento!

Descemos e antes somos preparados para os passeios que incluem diversas regras, principalmente para não incomodar os bichos em seu habitat natural. Vamos andando bem lentamente e em diversos momentos nos abaixamos, para mostrar que não oferecemos riscos ou perigo. E assim eles se sentem bem à vontade para passar bem perto de nós, caminhando de um jeito todo engraçado, como vemos na TV, nos desenhos animados.


Caminhamos por 1h entre os pingüins e encontramos três espécies, os que são da região e menores, os de Magalhães, os Papua, medianos que vem da Antártica, e por último estavam dois pinguins reais, que não são da região, mas estavam migrando e se perderam por aqui, para a nossa sorte!












Quando assistimos vídeos ou vemos fotos desses bichanos pensamos: “nossa como pinguins são fofos!”, vou contar um segredo para vocês, eles são mesmo muito, mas muito fofos! Haviam três pinguins tão lindos e engraçados, que não paravam de correr de um lado para o outro juntos, e vinham sempre atrás do nosso grupo. Adoravam ficar atrás da gente! Kkkkkkkkk andando e correndo daquele jeito desengonçado, dava muita vontade de rir.



Que seres incríveis eu tive a oportunidade de encontrar ao vivo no Fim do Mundo!


Reprodução!
É muito legal observar o comportamento dos pinguins, eles são tão pacíficos, estão sempre em duplas.

 A época da reprodução vai de Setembro a Fevereiro, exatamente no perído da pinguinera, então além de poder observar as aves, podemos observar os ninhos. Os pinguins formam casais monogâmicos que dividem os cuidados com os ninhos.





Leia aqui todos os posts sobre Ushuaia.

CONVERSATION

0 Comentários :

Postar um comentário

Volte
p/ topo