Vida: A Depressão chega de Mansinho


Olá meus amigos lindos! Vocês que acompanham o blog sabem que o nosso maior foco sempre foram viagens e entretenimentos. Mas eu gosto de deixar um espaço livre para escrever sobre outros assuntos, por diversos motivos, primeiro porque nós seres humanos estamos em processo de evolução e mudança constante, mudamos de rotina, de hobbies, de foco, eu pelo menos sou assim. Por este motivo criei um blog com o nome mais livre, Histórias da Di e não algo voltado somente para um nicho, para ter a liberdade de focar em outros assuntos que considere importantes para o público em geral, como é o caso do tema deste post.

Para quem não sabe venho tendo depressão há um tempo e no atual momento, me considero 90% melhor e estou muito animada! Não sou especialista no assunto nem nada, mas resolvi aproveitar o espaço do meu blog para compartilhar a minha experiência com a depressão e tentar de alguma forna apoiar outras pessoas que sofrem com o problema ou os próximos que as amam. Você que tem depressão saiba que você não está sozinho e que vai ficar tudo bem!

A depressão, apesar de ser uma doença muito comum, ainda é um tabu. Muito se fala de maneira genérica, a depressão é assim ou assado, mas as pessoas não costumam assumir publicamente por medo de serem julgadas. A depressão não é como um corte que sangra e é visível, também não é como um câncer que é levado a sério. O preconceito está tão enraizado na sociedade, que a própria pessoa realiza um auto-preconceito, sentindo culpa por se achar fraco e outros adjetivos mais, fato que só atrapalha o tratamento.

Com tanto preconceito, aquele que sofre com o problema resiste a admitir, não fica atento aos sintomas e evita pensar no assunto, o que só atrapalha o processo de tratamento. Como falei no título, a depressão chega de mansinho, já para ir embora não é tão simples, ela se torna uma companheira presente e esforçada. Fique atento aos possíveis sinais e não permita que o medo ou o preconceito te consumam, melhor assumir logo e buscar ajuda no início.

As pessoas costumam dizer que a depressão está banalizada, que é falta do que fazer, que é frescura, que antigamente não existia depressão, você ouve esse tipo de comentário de pessoas amadas e a falta de apoio magoa. Pois saiba que depressão sempre existiu, que as pessoas estavam tristes e infelizes andando por ai, pensando que era normal ser tão infeliz o tempo todo, que para viver só é necessário sobreviver. Pois saibam que para nós não está tudo bem, nós queremos muito mais da vida!

Vou tentar te dar umas dicas dos sintomas mais comuns para que você observe logo o problema e não permita que ele assuma grandes proporções. Ressalto que não sou especialista no assunto, somente observei e estudei muito para a minha própria cura. Além disso, esses sintomas que identifiquei, também podem ser de outros problemas, cada caso é um caso. Por isso na primeira desconfiança procure um psicólogo ou psiquiatra. 


Mau Humor

O mau humor é um sintoma que costuma mascarar muito a percepção para o problema. Passam diversas coisas na nossa cabeça, estou com TPM, dormi mal, estou num mau dia, etc. Só que meu povo, o mau humor não dura para sempre, se você estiver sofrendo de mau humor constante ligue o botãozinho de alerta.


Falta de Prazer e Alegria

Costumam caracterizar esse sintoma como um dia cinza, parece que tudo tem menos cor. Parece que você perde a habilidade de sorrir verdadeiramente, a vida passa como um filme, você observa todos se divertindo e não consegue compreender qual a graça daquilo tudo, mas você lembra que antes já achou graça também. Esse momento pode ser um clique para a sua percepção de que pode ser uma depressão.

Sono Constante e Dificuldade para sair da cama

O sono constante é algo que atrapalha muito a rotina de trabalho e de vida. Você já não sente mais aquele prazer pelas coisas comuns cotidianas, somado a isso tamanho sono, qual motivo você teria para sair da cama? Mas você tem que levantar, afinal de contas, o que você vai dizer no trabalho? Que desculpa você vai dar para os seus amigos? Então você se sente culpado e fraco por estar se sentindo assim mal, afinal de contas você não tem nenhum problema grave na vida, como pode se sentir mal? Pensamentos que só pioram os sintomas, e tudo vira uma bola de neve.


A vontade de ficar na cama dormindo também é uma válvula de escape comum, afinal de contas se você estiver dormindo, o tempo passa mais rápido e você não tem que lidar com tudo isso.

Para quem não sofre do problema, talvez seja difícil mensurar o tamanho da dificuldade que é levantar da cama. Muitas vezes ir ao banheiro é uma luta enorme, é como se todo o peso do mundo caísse sobre você. Portanto fique atento, se você ou algum amigo querido estiver nessa situação pode ser depressão e não preguiça.

Redução da Higiene e Desorganização

A redução da higiene está ligada com a grande dificuldade de sair da cama e realizar as tarefas diárias e rotineiras que agora se tornaram um imenso fardo.

Isolamento

A falta de prazer pelas coisas são o botão de start do isolamento. Depois de um tempo o isolamento só aumenta, a pessoa não quer ter que lidar com os outros e explicar o que está acontecendo, com medo dos julgamentos e críticas e se isola mais e mais.


Existem outros sintomas como: dificuldade de pensar e raciocinar, falta de energia, mudanças de peso (ganho ou perda), pensamentos negativos constantes, pensamentos de morte e certamente outros que desconheço, a mente é algo muito complexo para desvendar. Pretendo continuar escrevendo sobre o assunto e a minha busca para a CURA, que na minha opinião existe sim, apesar do que os próprios especialistas dizem (especialistas consideram uma doença crônica) e estou buscando,

Beijos no coração de vocês! Di.

CONVERSATION

2 Comentários :

  1. Adorei conhecer seu blog Diana! Nos conhecemos num passeio a uma vinícola, numa viagem ao Uruguai e senti que vc é essa pessoa intensa e cheia de vivências maravilhosas! Creio ñ ser por acaso eu congecer seu blog por esse texto... estou exatamente como vc: me sinto 90% melhor, estou animada e, ao contrário do que dizem, creio na cura! Lindo e necessário texto! Beijos e até sempre!

    ResponderExcluir
  2. Oi Diana! Entrei em seu blog pesquisando sobre as Bahamas. Me chamou a atenção esse post, pois sou psicóloga. Sem dúvida o autoconhecimento e o conhecimento da doença são a base da melhora! Vc está no caminho certo! Boa sorte em seu tratamento!! Abçs

    ResponderExcluir

Volte
p/ topo